Atina

{{ !userNews.np1 ? 'Eu sou' : userNews.np1 }}

  • Gestor
  • Professor
  • Aluno
  • Interessado
Contato

Tags

Compartilhe Twitter Facebook

Como aprimorar o ensino de Ciências e estimular o interesse dos alunos por questões científicas? Este foi o tema central debatido durante o II Encontro Nacional do Programa Experimento para Educação STEM, ocorrido na última sexta-feira (25) no Colégio Visconde de Porto Seguro, em São Paulo. STEM é um termo (em inglês) usado para designar metodologia que aglutina os conceitos da ciências, tecnologia, engenharia e matemática (science, technology, engineering and mathematics).

Existe uma variação desta metodologia, o STEAM, que inclui as artes (arts) como conceito importante dessa metodologia. Durante o evento,  Roseli de Deus, coordenadora geral da Febrace, defendeu que as Artes extrapolam a Educação Artística dentro da escola e que devem estar presentes como meio para desenvolvimento de competências, habilidades e conteúdos.

Julia Pinheiro Andrade em apresentação sobre novas perspectivas para educação no século 21

A professora Julia Pinheiro Andrade, diretora pedagógica da Atina Educação, compartilhou a experiência do projeto que utiliza a Metodologia de Contextualização da Aprendizagem desenvolvida pela Atina em Guaratinguetá. O projeto utilizou conceitos fundamentais da metodologia STEM durante a formação de professores da rede municipal. Julia falou sobre as novas perspectivas para a Educação no século 21 que aponta para a inversão do currículo do século 20. “Para o ensino de grandes capacidades ou competências, é preciso haver uma inversão do currículo escolar: da escola predominantemente centrada na transmissão de informações, dados… para a escola centrada na compreensão profunda e na mobilização desta compreensão para a elaboração de propostas e  intervenção social”, diz.

 

Na mídia

Dar voz à Educação