Atina

{{ !userNews.np1 ? 'Eu sou' : userNews.np1 }}

  • Gestor
  • Professor
  • Aluno
  • Interessado
Contato

Tags

Compartilhe Twitter Facebook

A formação de professores do programa São Sebastião: Território que Educa está entrando na reta final. Foram quatro encontros ao longo do primeiro semestre e serão mais três a partir de agosto. Nos primeiros, coordenadores e professores puderam trocar conhecimentos, refletir sobre a própria prática e construir novos aprendizados para fortalecer uma educação contextualizada. Os professores refletiram e vivenciaram sobre temas importantes, como:

– Parte diversificada do currículo: reflexões sobre a importância do contexto na sala de aula

– Mandala dos Saberes: construção coletiva para articulação, integração e interação dos saberes escolares e saberes locais.

– Metodologia de Contextualização de Aprendizagem (MCA): é no contexto conhecido que o estudante se reconhece no mundo, faz as suas conexões e entende os sentidos.

– Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): como formar cidadãos preparados para enfrentar os desafios do século 21?

– Base Nacional Comum Curricular (BNCC): como ensinar as competências previstas na BNCC a partir da contextualização, investigação e com metodologias ativas?

– Avaliação: níveis de profundidade e compreensão no processo de ensino-aprendizagem

– Estratégias ativas de ensino: por que adotar diferentes estratégias de ensino para o desenvolvimento de competências?

– Vivências de Sequência Didática (SD) contextualizadas para o território de São Sebastião.

 

Professores durante encontro de agosto

A formação é elaborada na perspectiva da homologia de processo e as atividades realizadas com professores podem ser experimentadas e vividas com alunos. Com isso, os professores adquirem um repertório de experiências que são refletidas durante o curso e incorporadas na prática da sala de aula.

Agora, no segundo semestre, os professores produzirão as próprias SD com propostas interdisciplinares que serão aplicadas nas escolas entre setembro e outubro. Todo o registro das atividades será realizado, por meio de fotos e vídeos, pelos alunos do projeto Jovem em Ação.

As melhores SD serão publicadas em livro de autoria docente que será compartilhado com toda rede, com atividades que retratam o contexto, o lugar e as temáticas relevantes ao município.

Na mídia

Dar voz à Educação